Divina Vingança, As Freiras Assassinas #2 – Resenha

Nesse post, lhes trago com um enorme prazer a resenha do segundo livro do Clã das Freiras Assassinas, Divina Vingança. Que a editora V&R me enviou antes do lançamento a versão não revisada, para que vocês tenham acesso a uma resenha antecipada.
Então vamos lá:

Acabo de terminar o livro em menos de meio minuto atras. E preciso lhes contar o quanto essa história é forte e poderosa. Neste livro, que apesar de ter uma história ser completa em si com começo meio e fim. Ela faz parte de um emaranhado politico que começou no primeiro livro e vai acabar no ultimo da série. Então é prudente ler os livros em ordem. E leiam, sério é muito bom.

giphy (78).gifAgora temos Sybella, uma jovem obscura que carrega grandes e pesados fardos que a vida lhe deu. Ela é uma sobrevivente de tudo o que há de pior nesse mundo. E filha direta, do próprio santo da morte, Mortain. Sendo negada pela morte várias vezes, ela foi mandada para o convento das freiras que seguem a Mortain e treinada para ser uma arma letal para os serviços do Santo.

Uma das coisas fantásticas sobre essa série é o universo criado, que apesar de, pasme você, todo esse confronto politico entre condes, duques e impérios ser real. Existe esse lado “Sobrenatural(está em aspas pois trata de Fé em santos e isso não se discute). Sério gente, a escritora pegou fatos políticos de 1480 e criou um romance macabramente belo em torno disso.

A teia religiosa do livro é incrível, temos sete santos pagãos alem da Mãe das Sombras. Que eu quero muito, que seja mais explorado nos próximos livros. Pois eu bebo toda essa história com uma sede insaciável. Eu exijo saber mais sobre Saint Mer a deusa que arrasta os homens ao afogamento e da a luz seus filhos tempos depois. Crianças com peles banhadas pelas ondas e membranas entre os dedos.

O enredo desse livro é focado em Sybella, ela está em uma missão do convento, e como a  história começa assim que Perdão Mortal termina. Ela se encontra nesse lugar horrível e cheio de fantasmas de seu passado. Ela foi criada como filha de um homem desprezível e muito cruel, o conde D’Albert. Que é o maior traidor da Duquesa e do reino todo. Ela anseia por mata-lo, e com essa vingança por fim em toda a angustia que ele lhe causou. Mas as coisas não são tão simples, ou tão fáceis. Nesse livro podemos ver mais de quão poderosa é uma filha de Mortain, pois Ismae era foda, mas ainda sim tinha aqueles traços mais delicados em suas atitudes e pensamentos. E eu queria ver sangue, confesso. E foi o que eu vi, realmente Sybella não deixa espaço pra queixas.

“Uma cosia era certa: eu adorava a forma como meu corpo e minhas armas se moviam como se fossem uma coisa só; dava-me prazer sobre onde acertar para obter o máximo impacto. E tinha certeza de uma coisa: eu era boa nisso.”

dark_triumph___i_knew_you_d_miss_me_by_leabharlann-d6dxesgSybella é uma personagem muito instigante. Ela é fria, cruel e tudo o que lhe aconteceu de mal, que acredite quando eu digo que foi muita coisa, a fizeram ser essa pessoa sem perspectiva de felicidade ou amor. Ela é aquele tipo de pessoa que não acredita que vale alguma coisa boa, e se vê pelas piores óticas.

Temos também a figura para completar esse romance que é Fera de Waroch. Um homem como o apelido já diz, imenso. Que foi gerado a partir de uma relação de abuso entre um guerreiro com calor da guerra nas veias e uma mulher. Ele é imenso e é o maior guerreiro da Duquesa, leal e fatal ele está como prisioneiro de D’Alber.Então é assim que os caminhos se cruzam, ele é a nova missão que Sybella recebe do convento, resgatar o cavaleiro e o levar para a Duquesa. Ele é doce e realmente muito cativante, um dos personagens mais inteligentes. Eu realmente dei algumas vivas no meio da história por ele estar lá e de forma ativa para mudar os acontecimentos. 

“Eu precisava confiar no Deus cujo sangue corria em minhas veias e em minha verdadeira natureza. E mesmo que ela não fosse tão sombria e perversa quando a de d’Albert, ela era sombria. E Forte.”

tumblr_n9e35tCqK61sftxuqo1_1280Esse livro é mais pessoal, apesar de tudo ele traz muitas das incertezas e pensamentos de Sybella e deixa de lado os acontecimentos políticos. E confesso que as vezes Sybella irrita muito, eu não sei se realmente existe alguém que se tem em tão baixa escala e é tão inseguro apesar de toda a força. Ela é uma das personagens mais fortes e determinadas que eu já li, mas no principio é tão frágil  e cheia de não-nasci-para-ser-feliz e a-vida-me-odeia que da vontade de dar uns chacoalhe nela. E isso deixou o livro muito mais lento e um pouco cansativo.

O romance que a escritora cria é até fraco apesar de tudo, pois não é o foco, apesar de ser parcialmente o foco. No final, eu percebi que assim como Perdão Moral, o crescimento pessoal da personagem principal é o que mais importa. O que é tão frustrante, pois a escritora tinha uma história que podia desenvolver tanto romanticamente, pessoalmente quanto historicamente . Podendo ter descrito mais coisas e tecido mais essa teia fantástica que criou. Pois é tudo tão bom, e o que é apresentado é tão pouco que sente sim aquela falta de mais. E eu realmente acredito que com um pouco mais de dedicação seria um livro muito melhor.

Não que ele seja ruim, por favor. É um ótimo livro, pelo que li até agora é uma série quase que obrigatória para todos aqueles amantes do gênero. E que vai ficar marcado na minha vida, o que me deixa ainda mais ansiosa para o que vem a seguir.

Informações técnicas: Divina Vingança, Resenha

Divina VingançaTitulo: Divina Vingança – O Clã das Freiras Assassinas #2
Autor: Robin LaFevers
Ano: 2016
Páginas: 390
Editora: V&R Editoras
Sinopse: Sybella nunca soube ao certo o que era amor. Não sem segunda intenções. Desde sua infância, ela teve de confiar em si mesma para conseguir sobreviver. Ao chegar no convento de Saint Mortain, Sybella recebe o refúgio de que tanto precisava, porém isso terá o seu preço. As irmãs, que servem ao deus da Morte, percebem que a garota tem atributos e que ela pode se tornar uma arma poderosa. Ela vive durante três anos no convento e é treinada para enfrentar quem quer seja. Sybella já não é mais uma garotinha inocente, e sabe disso. Agora é uma mulher madura e totalmente preparada, uma assassina experiente, que mata a quem merece e o faz por gosto e sem piedade. Nunca se arrepende de suas decisões. Pelo contrário, ela sabe onde se encontram seus pontos fortes e como usá-los para cumprir sua missão. Porém, ela é enviada de volta para o lugar onde passou sua infância, para espionar seu pai, o cruel D’Albret. Ela começa a se lembrar de coisas horríveis que aconteceram enquanto estava sob o domínio dele e decide compartilhar com Fera, quem, fora do convento, torna-se seu companheiro. Juntos eles redescobrem a confiança e o amor. Assim, Sybella caminha por uma teia complexa de vingança e ódio, em busca de seus traidores, que levam a marca do deus da Morte. Ambientado da França medieval, Divina Vingança é o segundo livro de O clã das freiras assassinas, uma trilogia de mulheres fortes em busca de seu próprio destino.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s