O Segredo de Heap House – Edward Carey

IMG_1105.jpgProvavelmente você já deve ter ouvido falar de Londres, a grande cidade da Inglaterra. Porém, o que você nunca deve ter ouvido falar é dos Cúmulos, que fica bem perto de Londres. Bem, os Cúmulos nada mais é do que um imenso mar de lixo e objetos descartados e abandonados. Um lugar misterioso e perigoso, onde pessoas podem se perder de tal modo que mesmo depois de anos, seus corpos nunca são encontrados.

“Sem dúvida, aquele era um lugar peculiar, cheio de comportamentos peculiares, mas pouco importa, pensei; as pessoas com dinheiro têm a liberdade de ser tão peculiares quanto quiserem.”

O interessante é que dentro dos Cúmulos uma grande mansão se ergue, poderosa e meio bizarra, ela foi construída com o suor dos Iremonger, cada parte peculiar da grande mansão foi acoplada cuidadosamente, um castelo, uma casa vitoriana, uma loja modernista, um prédio art nouveau. Difícil saber como tantos prédios se conectam e montam a grande Heap House, a mansão dos Iremonger, os donos de todo os Cúmulos (e de quem vive neles também).

IMG_1103Então, já tendo te situado, gostaria de falar um pouco sobre as pessoas que habitam Heap House. Começamos com os primos e primas, tios e tias, avós e avôs, netos e netas. Todos Iremonger, cujo sangue segue limpo e puro, casando primo com prima a linhagem permanece pura e forte. Mas tem também os meio Iremonger, estes são só metade, por parte de mãe, ou de pai, ou de avó quem sabe. Estes então, são a grande equipe que trabalha dia e noite para manter a casa e o conforto dos Iremonger originais.

Espero que você esteja acompanhando, pois ainda nem contei o enredo.

“Tenho cabelos ruivos e grossos e um rosto redondo e um nariz arrebitado. Meus olhos são verdes e mosqueados , mas esse não é o único lugar em que tenho pintas. Todo meu corpo é sarapintado. Tenho sardas, sinais, manchas e um ou dois calos nos pés. Meus dentes não são lá muito brancos. Um dente é torto. Estou sendo sincera. (…) Meu nome é Lucy Pennant. Esta é a minha história.”

Uma cosia muito importante que você tem que saber sobre esse mundo louco criado por Edward Carey é que os objetos não são o que parecem. E nem agem como esperamos que agissem. Acontece que cada um que nasce dentro dos cúmulos, seja empregado ou membro da família, possui um objeto de nascença.

“Todos aqui cresceram com os montes de sujeira em volta, ao lado e dentro de si mesmos.”

Uma maçaneta de latão, um apito, uma carta de baralho, uma lareira, um tampão de banheira, uma colher ou uma concha. Absolutamente tudo pode ser um objeto de nascença, um totem, que protegem as pessoas de pegarem a doença dos cúmulos.

A história começa com Clod Iremonger, um membro da família, que está prestes a completar 16 anos e ganhar calças compridas. Uma coisinha meio bizarra e estranha que ouve os objetos falarem seus nomes. Que cosia doida, eu te digo, ninguém da família gosta muito de ficar perto dele.

“Aqueles apêndices de carne nas laterais da minha cabeça faziam coisas demais; aqueles dois buracos pelos quais os sons entravam viviam assoberbados. Eu escutava coisas quando não devia.”

A história de Clod fica um pouco agitada quando Lucy Pennant, uma órfã rebelde recém-chegada da cidade topa com ele, na verdade bate nele com um balde. Ela é uma criaturinha muito audaciosa e diferente de todos ali na grande mansão, vai questionar todos os hábitos estranhos que aquele lugar tem. Virar tudo de cabeça pra baixo e trazer mais alegria na vida do pobre Clod.

O Segredo de Heap House é uma história livro infanto juvenil muito doida, meio gótica, meio emo. Muito fantasiosa. Que eu tive o prazer de ler, e que talvez muita gente não tenha o mesmo prazer. É o primeiro livro da série Crônicas da família Iremonger ,e é focado mais em apresentar esse novo mundo totalmente original e inusitado com perspectivas totalmente fora da casinha. Com uma escrita cativante e engraçada, que acrescenta um gosto a mais nessa leitura. Ainda mais com as ilustrações dos personagens e mapa da casa desenhadas pelo próprio escritor, que trás um charme e autenticidade a mais. IMG_1099

Confesso que não sei se continuarei lendo a série, pois apesar de ser muito gostosa de ler, não tem um enredo muito cativante. Eu lia pois era prazeroso ler, não por vontade de saber o que acontecia. Porque basicamente não tem um mistério muito elaborado, talvez se fosse um livro único seria melhor. Pois assim que terminei o livro não senti vontade de continuar a série, mesmo se eu tivesse o livro em mãos aqui.

Por fim, quem procura algum livro com os adjetivos já citados, vai em frente. Esse livro merece ser lido, só pela sua originalidade e graça de escrita.

O Segredo de Heap House

4

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s